segunda-feira, 8 de março de 2010

Ana de Castro Osório



Ana de Castro Osório nasceu em Mangualde (Beira Alta)no dia 18 de Junho de 1872 e morreu em Setúbal a 23 de Março de 1935. Além de escritora, especialmente no domínio da literatura infantil, foi uma pedagoga notável, feminista convicta e activista republicana portuguesa. Pioneira em Portugal na luta pela igualdade de direitos entre homem e mulher escreveu, em 1905, Mulheres Portuguesas, o primeiro manifesto feminista português.
Foi uma das fundadoras do Grupo Português de Estudos Feministas, em 1907, da Liga Republicana das Mulheres Portuguesas, em 1909, da Associação de Propaganda Feminista, em 1912, da Comissão Feminina "Pela Pátria"em 1916, a partir da qual se formou, no mesmo ano, a Cruzada das Mulheres Portuguesas.
Casada com Paulino de Oliveira, membro do Partido Republicano, aproximou-se,depois da instauração da República, deste partido, tendo colaborado com o ministro da Justiça, Afonso Costa, na elaboração da Lei do Divórcio.
Foi membro da obediência maçónica Grande Oriente Lusitano e da Ordem Maçónica Mista Internacional "Le Droit Humain".

7 comentários:

pinguim disse...

Embora não consiga entender a existência de um Dia Internacional da Mulher, não quero deixar de manifestar o apreço pela homenagem que prestas a uma Mulher que lutou tanto e num tempo difícil pelos direitos das mulheres.

Beijinho.

O Guardião disse...

Uma passagem breve para desejar um bfds
Cumps

Brancamar disse...

Olá Isabel,

Que mar lindo tens e sempre a Sophia, com aqueles versos maravilhosos, também os tenho por lá, mas no fecho do blog. Aliás lembro-me que no princípio foi isso que me aproximou de ti, o mar e Sophia.
Tinha saudades de vir por cá, o tempo tem sido escasso, mas sempre volto.
Uma bela homenagem que prestas aqui a uma mulher notável. Admiro todas as mulheres como esta que nos abriram o caminho do futuro, numa época tão difícil que era a delas.
Beijinho para ti e para a tua Maria, que deve estar já crescidíssima.
Branca

C Valente disse...

Saudações amigas, já tinha saudades de aqui passar

aflores disse...

"A ver o mar" fiquei eu :o) quando tentei visitar os blogues e...nada!?

Fica aqui a lembrança.

Tudo de bom.

SILÊNCIO CULPADO disse...

Isabel

Há que recordar quem é pouco recordado neste mundo que não quer ser incomodado.

Tinha que passar por aqui. Faz tanto tempo!....



Abraço

O Guardião disse...

Estranhei a ausência, mas espero que esteja tudo bem.
Cumps