quarta-feira, 13 de agosto de 2008

A Feira Medieval de Silves

Acampamento na Praça Al’Muthamid junto ao Arade


Quem chega a Silves, vindo do Sotavento, quer pela via do Infante quer por Alcantarilha fica deslumbrado com a paisagem que avista antes mesmo de passar a ponte sobre o Arade.
A cidade localiza-se num vale onde abundam os laranjais e é dominada pelo castelo, que data sobretudo do tempo da ocupação dos mouros no século VIII. Silves prosperou sob o domínio muçulmano, tendo-se tornado, sob o nome de Chelb, uma das cidades mais importantes da Península Ibérica até ser conquistada pelos cavaleiros da Ordem de Santiago, em 1242.
Das torres do castelo, avista-se uma paisagem deslumbrante.Todos os montes em redor, e são muitos, estão cobertos de oliveiras, alfarrobeiras, azinheiras, amendoeiras...
Neste momento, está a decorrer desde o dia 9 de Agosto e prolongar-se-á até ao dia 17, a Feira Medieval de Silves. A partir das 18.00h e até à 1.oo h da madrugada, há música, muita música e muito boa, teatro, comes e bebes, venda de produtos agrícolas e artesanais num ambiente que nos leva a viajar até aos séculos XII/ XIII.
As reconstituições históricas estão a tornar-se, cada vez mais, um evento cultural do Verão e um pouco por todo o país, de Norte a Sul, encontramos reconstituições quase perfeitas daquilo que foram as feiras medievais. A Feira Medieval de Silves tornou-se um evento imperdível para quem vive no Algarve e para quem escolhe o Sul como destino de férias.Pode-se comprar o mel de rosmaninho, orégãos, poejos, louro, tomilho, figos, peças de barro, sapatos, vestuário, bijuteria, pratos, tapetese lanternas de Marrocos e muito,muito mais em tendas semelhantes às que os artesãos medievais utilizavam para vender os seus produtos. Enquanto passeamos, vemo-los ocupados na sua arte. O teatro não falta e pode-se assistir à recriação de eventos históricos da época medieval como os torneios ou a conquista da cidade por D. Paio Peres Correia.
Outra imagem do acampamento

As feiras eram importantes locais de comércio e divertimento para quem vivia nos concelhos rurais e até mesmo nos urbanos.Estavam presentes os saltimbancos,malabaristas, animais amestrados, jograis, bailarinas...É esse vigor que está patente quando se visita esta feira algarvia. Encontramos regatões, camponeses, artesãos,almocreves, mendigos...



Cortejo que marca a abertura da Feira


Muitos eram os motivos que levavam as pessoas à feira. Ia-se para comprar,vender, conviver, receber notícias de outras povoações,marcar casamentos, enviar notícias...
As feiras medievais representaram o momento no qual ressurge o comércio na Europa, no final do século XI, quando esta saía do feudalismo, no qual as pessoas viviam em territórios limitados,onde produziam tudo o que precisavam, sendo que quando algo faltava, conseguiam-no através de trocas.


Mendigo, muito bem caracterizado, junto da porta que dá acesso Museu de Silves. Uma visita a não perder.

No entanto, as Cruzadas reabriram o caminho pelo mar Mediterrâneo e possibilitaram aos Europeus um maior contacto com o Oriente, de onde traziam mercadorias raras e exóticas (cravo, canela, pimenta, seda, porcelana), muito cobiçadas no Velho Continente
Músicos

Durante a realização das feiras interrompiam-se guerras, a paz era garantida para que os vendedores, dispostos lado-a-lado, pudessem trabalhar com segurança. Da mesma maneira, os guardas vigiavam todo o perímetro de modo a evitar que algum desordeiro pudesse causar incómodos àqueles que por ali passavam e desejavam efectuar suas compras.
Os fidalgos de visita à feira

Ao começo da noite a feira enchia


Um grupo castelhano que contagiou o público assistente com a sua alegria

Veja Aqui e saiba mais.



E agora Só lhe falta mesmo ir a Silves. Vai gostar!

21 comentários:

o escriba disse...

Isabel

Amiga, como te disse fui dar uma voltinha pela zona Oeste e foi um bonito passeio.

Deixa lá ver se consigo ir a Silves ver a Feira Medieval.Nunca fui. Costumo ir a Castro Marim, nomeadamente no último dia para assistir ao Torneio Medieval, que aprecio muito.

bjinhos
Esperança

O Guardião disse...

A recriação de feiras e torneios medievais tem acontecido um pouco por todo o lado, umas com algum rigor estético e histórico, outras com pendor mais comercial, mas quase sempre maioritariamente representadas por espanhóis e marroquinos. É sempre bom ver que tem boa aceitação por parte do público.
Bfds
Cumps

C Valente disse...

Espero que tenha sido divertido, pelas imagens parace que sim.
Saudações amigas

Ana disse...

Sugestão que aceitaria de bom grado.
Obrigada, Isabel.
Um beijo e que as férias estejam a ser optimas.

gaivota disse...

olá isabel, isto de medieval tá a pegar em todo o lado... aqui perto, em óbidos, é sempre um sucesso já lá vão uns quantos anos e também em aljubarrota, são sítios lindos e muito bons para estas "lembranças", como silves, que é uma vila linda...
mas fico-me por aqui...
convido-te para uma sardinhada, boa, muito boa, prometo!
aparece(çam)
beijinhos grandes e muito marrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrr

Agulheta disse...

Olá Isabel. Pois é sempre bom recordar e bem,as coisas que fizeram um povo,estas feiras eu gosto de ver,é uma mais valia de coltura.
Beijinho bfs Lisa

bettips disse...

Silves é para mim ir muitas horas, num carrito, e começar a ver terra vermelha, cheirar a amêndoas e a calor doce, vislumbrar um castelo todo ao sol ...Silves é para mim o esplendor de antigas férias, com o filho e as crianças amigas a espreitar o poço, a subir as muralhas pela mão, a ensinar o nome das coisas, ervas e árvores... Feiras medievais... uma moda, uma festa, ao menos que se aprenda alguma coisa assim!
***
Não me despeço ainda.
Não "gastei as palavras" nem os olhos. Por isso não aprecio visitar "muita" gente ao mesmo tempo: preciso de perceber o que as pessoas transmitem e quantas vezes vou atrás e à frente, leio comentários, descubro caminhos e opiniões. Apego-me imenso ao que me emociona. Tento escolher o que gosto: natureza, arte, gente boa, música, fotografia, viagens, literatura ...por aí! No meu post anterior falava duma festa, foi um convívio e sardinhada na Ericeira, quase combinado duma semana para a outra - eu estava em Lx - de quem se pôde lá deslocar, uma dúzia de conhecimentos: o Fotodicinário/Palavra Puxa Palavra fez dois anos em Julho, estou por lá desde Set. 06. Foi um belo encontro de gente que já se falava por fotos e palavras.
Fica bem, alfazema do monte.
Beijinho

Ludo Rex disse...

Este ano não poderei ir, fica-me no entanto a tua bela reportagem histórica. Kiss e Bom Fim de Semana

lagartinha disse...

Quem me dera poder ir a Silves...fiquei com água a crescer na boca depois de ver esta apresentação!
Um beijinho grande

aramis disse...

Excelente artigo Isabel!
Convido-te a passar "na minha casa" para veres umas bonitas fotos de S.Martinho.
Um grande abraço,

Fernando Santos (Chana) disse...

Cara amiga...Excelente post...
Beijos

Zé Povinho disse...

Reviver a história, animação, movimento, estamos a aprender alguma coisa com os nossos vizinhos.
Bom domingo
Abraço do Zé

Jorge P.G disse...

É ÓPTIMO QUE TODAS ESTAS FESTAS SE NÃO PERCAM, antes se multipliquem e sejam bem divulgadas junto de estranjeiros e nacionais.

Fizeste bem o teu papel de divulgadora desta, em Silves.

Um abraço e bom domingo.

Fernando Rodrigues disse...

E bons momentos se passam em Silves

Bjus

elvira carvalho disse...

Quem dera amiga, quem dera. Estou farta de estar em casa.
Ontem esperei por si para a taça de champanhe, mas compreendo que com a princesa em casa esqueça o mundo. Já tirei uma série de coisas do Sexta, a ver se conseguem abrir. O Jorge diz que devia estar pesado. Mas ele estava assim há meses. De qualquer modo tem obrigação de estar mais leve.
Um abraço e resto de bom Domingo

SILÊNCIO CULPADO disse...

Isabel
Como sabes sou algarvia (Faro) e a cidade de Silves apaixona-me. Tenho dela boas lembranças e também saudades, algumas associadas a amigos que já perdi.
A tua descrição da cidade e das feiras medievais é simplesmente fabulosa.
Assim se aprende e assim se partilha.
Um dia quando aí for aviso-te. És daquelas pessoas que eu conheço sem conhecer e que sinto em mim como uma referência.
Beijos
(e para a neta que nasceu a 15 de Março como o meu Renato).

FERNANDA & POEMAS disse...

Olá querida Isabel, bela imformação, fotografia e belíssimo texto que fico a conhecer, sem estar aí... Obrigada Menina pela partilha!
Beijinhos de carinho,
Fernandinha

Espaço do João disse...

Óh Isabel.
agradecido pela passagem no meu espaço. Também me parece que estás numa terra de peixe fresquinho. Eu adoropeixe e, não o toco por carne desde que seja fresquinho. A maior parte das refeições são feitas à base de peixe.
Realmente na minha postagem sobre Vasco da Gama, não me ocorreu a expo.98. Até o nome da ponte que foi dado por um algarvio que hoje é Presidente da República. Mas não importa pois sei de antemão que muitos dos que nos visitam não teem conhecimento de tal data. A minha cidade fica a pouco menos de 15 Km. e faz fronteira com Sines, Santiago do Cacém e, Grandola. Todas as praias do concelho de Santiago estão sediadas em Vila Nova dew Santo André, cidade que ajudei a costruir e sou um dos pioneiros. Vivo cá desde 1974. Beijinhos e boa semana.

Filoxera disse...

Nunca estive numa feira medieval e ultimamente tem havido tantas!
Obrigada pela reportagem.
Beijos.

aflores disse...

Silves (uma excelente sugestão) só mesmo no início de Setembro (férias!!!), mas, nessa altura, já a Feira Medieval acabou, por muita pena minha. Valeu a divulgação e partilha neste post, que muito me agradou.

Grande abraço do Norte ;)

com senso disse...

Um convite aliciante.
Acho belíssimas este revivalismo medieval...
No Algarve nunca tinha visto algo assim, apenas no norte e em Óbidos.
Uma óptima aprendizagem que fiz hoje, aqui!
Um beijinho