quinta-feira, 7 de julho de 2011

Algarve

                                             imagem do google


Levo-te emoldurada na retina,
Terra que Portugal sonhou e sonha ainda,
Que imagina depois de conhecer.
Só na retina poderei reter
Um mar que é outro mar,
Um sol que é outro sol,
Gente que é outra gente,
E casas que parecem de repente
Albornozes de pedra.
Magias naturais como a paisagem
Aberta à luz do dia,
Sempre real e sempre uma miragem
Táctil e fugidia...


Miguel Torga


Carvoeiro, 20 de Julho de 1973

11 comentários:

pinguim disse...

Tenho um velho e grande amigo a viver no Carvoeiro; um dia destes vou visitá-lo...

Luis Eme disse...

é, no Algarve o mar é mais azulado.

beijinho Isamar

Petrus Monte Real disse...

O poema dá-nos o retrato do verdadeiro Algarve, terra de sonho e de conquista!

O recanto da imagem corresponde ao idealizado no poema!
Obra de Deuses!

Estou muito grato pela visita ao meu espaço e pelo belo comentário que muito me sensibilizou.
Nunca soube a razão que impedia o acesso à caixa de comentários.
Espero que a anomalia esteja definitivamente resolvida.

Estive ausente da blogosfera por escassez de tempo. Por isso só agora retribuo e agradeço o seu espantoso comentário.
Preciso de gerir melhor esse factor inexorável que é o tempo!

Um bom fim de semana
Beijinho

Zé Povinho disse...

Este Algarve de Torga agrada-me ao contrário do Allgarve que tentam impingir, plástico e apenas para turista ver e consumir.
Abraço do Zé

BRANCAMAR disse...

Querida Isabel,

Lindíssimo este poema! Muito bela escolha a tua, que nos dá do Algarve a dimensão da sua beleza e da sua luz. Miguel Torga soube dizê-lo tão bem!

Beijinhos para ti, minha amiga.
Branca

Fernando Santos (Chana) disse...

Belo poema...Espectacular....
Cumprimentos

mixtu disse...

algarve
terra de gente boa
saudavel...
morena...
apaixonada

poesia num mar...

camo

serra

algarve...

me gusta

abrazo serrano

Lilá(s) disse...

É unico o nosso Algarve...
Bjs

Graça Pires disse...

"Só na retina poderei reter
Um mar que é outro mar,
Um sol que é outro sol,
Gente que é outra gente,"
O Torga soube descrever bem o Algarve... Obrigada.
Um beijo.

Parapeito disse...

Excelente escolha
Torga ficou muito em aqui
brisas doces*

Vieira Calado disse...

Olá, boa noite!

Por acaso este poema, vem a propósito.
Vou publicar Algarve Ontem.

Um dia deste ponho um poema e fotografia, no blog.

Beijinhosss