sexta-feira, 23 de setembro de 2011

Ode à Esperança



Crepúsculo marinho,
no meio
da minha vida,
as ondas como uvas,
a solidão do céu,
me enches
e desbordas,
todo o mar,
todo o céu,
movimento
e espaço,
os batalhões brancos
da espuma,
a terra alaranjada,
a cintura incendiada
do sol em agonia,
tantos
dons e dons,
aves
que acodem a seus sonhos,
e o mar, o mar,
aroma
suspendido,
coro de sal sonoro,
enquanto
nós,
os homens,
perto da água,
lutando
e esperando
junto ao mar,
esperando.

As ondas dizem para a costa firme:
"Tudo será cumprido".


Pablo Neruda (1904-1973)
in Odas Elementales.

27 comentários:

Luís Coelho disse...

Um poema cheio de ternura e de sonho.
Parece que nos deixamos embalar pelas ondas do mar e pelo pôr do Sol.

Fez uma bela escolha e é sempre bom reler estes poemas mesmo que sem ver o mar.

Maria disse...

Pablo Neruda é sempre uma excelente escolha, este poema é sublime. Que a esperança nunca morra nos nossos corações.
Bom domingo
beijinhos
Maria

Luis Eme disse...

como era bom que a esperança e o sonhonão fugissem...

Beijinho Isamar

gaivota disse...

o pôr do sol nestas palavras de neruda... tem outro sabor!
nuito lindo, minha querida
beijinhosssssssss milessssss

EAfonso disse...

Lindo, Amiga!


bjs
Esperança

BlueShell disse...

Oh...a esperança...essa!!!

Te abraço.

BlueShell disse...

O mar...a sua imensidão nos inspira... gosto.

Zé Povinho disse...

Neruda virado para o mar. Não conhecia e gostei.
Abraço do Zé

BRANCAMAR disse...

É um lindo e fantástico poema de esperança, de um homem sábio e lutador, de um poeta ímpar.
Obrigada pela partilha Isabel, pelas coisas tão lindas que sempre nos trazes e às vezes tão esquecidas nos dias de hoje.

Beijinhos para ti e para a Maria.
Branca

AC disse...

Como seria de esperar, um bom gosto extraordinário na escolha do post.
Foi bom revisitar Neruda.

Beijo :)

São disse...

Ah...boa escolha, a de Neruda!

Embora eu não tenha lido esta obra, li outras.


Um bom fim de semana.

▒▓█► JOTA ENE disse...

ººº
Gostei da foto associado às palavras que te revês.

JPD disse...

Boa noite, Isamar

Voltei.
Prometo a assiduidade habitual.

Bjs

mixtu disse...

as ondas
num mar
de ir e voltar

as ondas...

uma garrafa...

uma mensagem...

um naufrago ou simplesmente poluição...


jajaja

abrazo serrano

rouxinol de Bernardim disse...

Poesia de qualidade e com uma ternura assente na lucidez e na sensibilidade...

Marcela disse...

Olá Maria.
Nem sei como vim parar cá em seu blog, mas fiquei.
adorei a escolha do poema.
tudo lindo
bjos

Mar Arável disse...

Pablo Neruda sabia

àcerca do ciclo das marés

Boa partilha

Parapeito disse...

que escolha linda e a foto é magnifica.
Não se pode perder a esperança...nunca
Brisas doces****

Fragmentos Culturais disse...

Neruda é dos poetas que me fascinam!

E este mar que se espraia frente ao olhar vem aliviar um dia de imenso inverno!

Tão bom vir visitar-te!

Um grande beijinho,
(sempre atrasado, mas presente)

O Guardião disse...

O mar como fonte de inspiração, dos mestres também.
Cumps

JPD disse...

Olá, Isa

Belíssimo poema de Pablo (O meu poeta de eleição sulamericano)

Excelente escolha

Bjs

tecas disse...

Excelente Ode à Esperança!
Seria tão bom que a esperança crescesse em bom terreno. Muito bonito.
Bjito e uma flor, querida Isamar.

Fernanda disse...

Pablo Neruda, sempre único!
Maravilhosa a foto de ilustração desta Ode à Esperança!

Beijinhos

Fernando Santos (Chana) disse...

Olá Isabel, gostei da fotografia e do belo poema...Espectacular....
Cumprimentos

rouxinol de Bernardim disse...

A suavidade de palavras cheias de veludo!

Fragmentos Culturais disse...

Lindo o poema de Neruda. E a fotografia é um verdadeiro deslumbramento sobre o mar.

Ando mais afastada, mas ainda não desisti...

Vim deixar-te querida Isabel, um postal virtual de agradecimento pela amizade afectuosa.

Votos de excelente descanso! E continuação de boas leituras.

Um beijo,

Jorge P.G disse...

Um bonito poema a rematar uma bela fotografia!

Tudo de bom. Um abraço.