quarta-feira, 24 de setembro de 2008

Palavras sentidas




Que nostalgia é esta
No início do Outono
Que me veste a alma
E me tira o sono?



Lágrimas gélidas
Impiedosamente caem
E os gritos da dor
Sufocados não saem

Habitando esta ruina
Desmoronada a cair
Enraizou-se a tristeza
Que ameaça não partir

Vai pranto meu
Abre a porta à esperança
Outrora tecida na madrugada
Em lençóis de doce fragrância
Agora tão desejada



Sophiamar

41 comentários:

zef disse...

Olá, Sophiamar.
O outono não é só cheiro a mosto!
Um abraço

a guardiã disse...

há momentos em que a tristeza se apodera da nossa alma e parece que não a vamos conseguir afastar... mas mesmo depois da pior tempestade, as nuvens afastam-se e o sol volta a brilhar...

um beijo doce

Jorge P.G disse...

Olá!

Com que então uma incursão nos domínios da poesia!
Mas que melancolia é essa que trazes no peito!
Abre as portas e janelas, deixa entrar o vento, ouve a oarrastar das folhas quando ele passa e aguarda que o tempo se renove, pois cada estação tem a sua beleza. Cumpre-nos encontrá-la.

Quanto ao poema, em si, não tenho que dar opinião. Quem sou eu para o fazer?
Gostar do que se escreve é que é importante. Se outros gostarem, tanto melhor. Apenas.

Um abraço para ti.

amigona avó e a neta princesa disse...

Que lindo poema querida! Parabéns pelas palavras...beijos...

o escriba disse...

Isabel

Amiga, que poema cheio de coisas belas mas ao mesmo tempo tristes e melancólicas! Que nuvens são essas que pairam sobre a tua alma? Olha para além delas, até ao horizonte, onde o mar encontra o céu.
Fica bem, amiga.

bjinhos
Esperança

(gostei muito da fotografia)

elvira carvalho disse...

Pensava que as nuvens tinhsm desaparecido amiga.
Não gosto de vê-la assim triste.
Gostaria bem mais do poema se não fosse tão triste.
Um abraço

SILÊNCIO CULPADO disse...

Sophiamar
Também sinto a tristeza do cair das folhas e da melancolia que o Outono transporta.
Mas sinto na tua tristeza um grito contido, uma dor consistente que não é só Outono.
Beijos, amiga

Zé Povinho disse...

As estações sucedem-se, e na Primavera a natureza regenera-se trazendo de novo o verde às paisagens.
O Outono também é belo, basta olhar para o dourado das árvores nas encostas e o esvoaçar das folhas que vão caindo, já para não falar da espuma que coroa as ondas e a azáfama das aves marítimas esvoaçando contra o vento.
Abraço do Zé

jo ra tone disse...

Isabel,
O Outono é sempr uma estação que nos marca. As folhas caem, o sol é diferente.Parece que embarcamos numa viagem para um lugar distante.Espero que passes esta estação com toda a alegria, e amanhã verás que é novamente Verão.
Beijinhos

Teresa Durães disse...

nem todos apreciam o cair da folha. Para muitos é prenuncio de um fim, para outros, o começo de uma nova etapa

Graça Pires disse...

Vai pranto meu
Abre a porta à esperança
Outrora tecida na madrugada

Lindo! Acho que nunca tinha lido um poema teu. E gostei muito. Um beijo.

ROSA E OLIVIER disse...

abre a porta á esperança...!

"te amo em silencio...e só o silencio sabe..."

baci.

Lumife disse...

Uma visita que se impunha mas que o tempo (a falta dele...) não permitia.

Mas há sempre uma altura e esta chegou. Vou continuar a ler o que partilhas connosco pois tenho aqui matéria muito atrasada.

É sempre um prazer vir até ao teu "sítio".

Beijos

Luis Neves disse...

Palavras lidas e escutadas com muito prazer,
Outono dá-nos frutos saborosos, uvas doces, frutos secos, e folhas com cores vermelhas e amarelas que enchem a nossa paisagem de vida.
beijinho Luis

Fa menor disse...

Nostalgia de final de verão, amiga?
É natural...
É lindíssimo este teu poema nostálgico... mas agarra-te à última estrofe que ela diz o que é importante. E o sol brilhará!

Beijinhos

Fa
http://ensaio12.blogspot.com

Aires Montenegro disse...

O Outono... a nostalgia... o pranto. Ah, mas o MAR existe!

gaivota disse...

lindo poema isabel,
o outono tem cheiros únicos, tal como único é o cheiro do nosso mar, do mar de cada um...
as primeiras chuvas mergulhadas nas terras, as vindimas e a apanha das frutas, o pisar das uvas, o mosto, o engaço,
as panelas ao lume e a lareira a arder para assar o petisco
caldeirões de fruta e açúcar a consumirem-se para os doces de inverno, e as compotas e os licores
e a água pé, se houver frio...
e a matança do porco,
tudo isto cheira a outono, com sentidas palavras, à porta a ser aberta a quem de bem quiser entrar...
beijinhos, mil, minha querida

gotadevidro disse...

O Outono é sempre portador de nostalgia e de momentos de tristeza...Talvez até pelas cores dque dele emana.

Está lindo

BFS beijo

Papoila disse...

Olá!
O Outono põe-nos nostálgicas mas as suas cores explosivas são pronúncio de renovação.
Beijos

Agulheta disse...

Sophia. Pois o Outono é sempre nostlagico,até por vezes nos trás a saudade. Beijinho bfs

ASPÁSIA disse...

AMIGA!

UM SENTIR TRISTONHO
NAS PALAVRAS ESCRITAS...
PODEM SER DE OUTONO
MAS TRAZEM-NOS SONHO
POIS SÃO TÃO BONITAS!

QUE REMÉDIO, AMIGA,
QUER RINDO OU CHORANDO,
ESTE MAR DA VIDA
LEVAR DE VENCIDA,
SEMPRE NAVEGANDO!


BEIJO SENTIDO!

Ana disse...

A nostalgia do Outono reflectida nas tuas palavras. Tristes e tão sentidas.
Que a porta de esperança se abra brevemente , fazendo nascer outro poema tão belo como este.
Um beijo, amiga.

Jorge P.G disse...

OLÁ!

Acho que não me referi antes à bela imagem que escolheste.

Um abraço e óptimo fim-de-semana.

Luis Eme disse...

bonito...

apesar de sofrido.

abraço Sophiamar

Sininho disse...

Olá querida Sophiamar, apesar da nostalgia que o Outono possa trazer, a nossa atitude perante a vida faz toda a diferença. Minha linda amiga, tente ter pensamentos positivos sempre, e muito carinho, paz e alegria no coração! Abra essa porta à esperança e conserve-a bem pertinho de si. Vai sentir-se de certeza bem melhor.
Deixo-lhe umas estrelinhas cintilantes para iluminar o seu cantinho com carinho.
Bom fim-de-semana com tudo de bom!
Beijinhos carinhosos e abraço meiguinho.

elvira carvalho disse...

Passei. Deixo o meu abraço e votos de um bom Domingo.

O Guardião disse...

Passei hoje para desejar um bom domingo, de Outono como se vê.
Cumps

hfm disse...

Belo!

MPS disse...

Cara Amiga

Dois assuntos num só.
O primeiro é o da beleza ritmada e melodiosa das palavras da poetisa que desvenda a alma.

O segundo é o da pessoa por detrás das palavras. Sinto-a triste mas a tristeza não é, necessariamente, um mal, desde que saibamos aproveitar dela o que ela tem de melhor: a clarificação das nossas vidas. Necessariamente sairemos fortalecidos, como a árvore que recupera o viço na Primavera. Quem se lembrará, então, das folhas que a abandonaram no Outono?

Um abraço forte

Espaço do João disse...

Belo poema!!! No entanto comecei a meditar e acabei por verificar que há mais pessoas a gostarem da primavera do que do Outono. Esquecem-se que o outono não é a última estação, enquanto a primavera rejubila de fulgor. Realmente no outono a folha começa a cair, mas as avalanches normalmente dão-se no inverno , fazendo com que a primavera mostre as maiores belezas. O outono da vida cai sobre nossas cabeças como cinza, começam a branquear nossos cabelos, esperando pelo inverno até acabar tudo. Não choremos sobre o leite derramado, pois atrás de mim, outros virão. Um beijo amigo. João

heretico disse...

belo e nostálgico poema. debruado de palavras sensíveis e bom gosto.

beijos

o escriba disse...

Isabel

Amiga, uma boa semana de trabalho!

bjinhos
Esperança

Fernando Santos (Chana) disse...

Cara amiga, bela fotografia...Belo texto...Espectacular...
Beijos

Fernando Santos (Chana) disse...

Cara amiga, bela fotografia...Belo texto...Espectacular...
Beijos

elvira carvalho disse...

Deixo um abraço e votos de uma excelente semana.

Odele Souza disse...

O poema é triste sim, mas acredito que a tristeza seja uma das matérias primas dos poetas. E está lindo o teu poema.

Um beijo e o meu desejo de boa semana.

DE-PROPOSITO disse...

Que nostalgia é esta
---------------
Uma interrogação que seria bom não existisse. Mas, acredito que a tristeza, em determinados momentos, assola todo o ser humano.
Fica bem.
E a felicidade por aí.
Manuel

Maria Clarinda disse...

Lindo o teu poema. Sim o Outono é toda essa nostalgia mas...temos o mar...temos o pôr de sol nas cores maravilhosas do Outono...temos,temos...Amiga, é a nostalgia ...mas não deixes de ver estas coisas lindas.
Jinhos mil de maresia

CNS disse...

Belíssimo poema. Parabéns pela casa, que descobri por acaso.

Filoxera disse...

Que beleza de poema, amiga!
Beijinhos.

elvira carvalho disse...

É uma princesa, e vai chamar-se Mariana. Está tudo bem e eu estou muito feliz.
Um abraço