segunda-feira, 10 de março de 2008

Teresa Rita Lopes

Teresa Rita Lopes nasceu em Faro a 12 e Setembro de 1937, viveu treze anos em Paris (1969/1982) onde foi professora na Université de la Sorbonne Nouvelle e defendeu a tese de doutoramento Fernando Pessoa et le drame symboliste – heritage et création (1975).





É, desde 1979, professora catedrática de literaturas comparadas da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa, onde orienta um mestrado e o Instituto de Estudos em torno do Modernismo.

Escreve poesia e contos desde sempre, sendo co-directora da revista de poesia de língua portuguesa Orion.

Também desde sempre se tem dedicado ao teatro: tem mais de vinte peças escritas, das quais bastantes representadas em Portugal e no estrangeiro, (algumas premiadas) mas apenas quatro publicadas e uma no prelo.

Consagra-se, desde 1965, à obra de Fernando Pessoa. Dirige, desde 1987, um grupo de investigadores que se dedica particularmente à obra inédita de Pessoa, de que tem publicado numerosos volumes.











Algumas das suas “encenações” de textos de Pessoa publicadas têm sido representadas em Portugal e no estrangeiro (nomeadamente Le Théâtre de L’Être, em Paris e Bruxelas, Le Privilége des Chemins, em Paris, no Festival d’Avignon e em Bruxelas e L’Heure du Diable, em Paris).

Tem obtido vários prémios, no domínio do conto, da poesia, do teatro e do ensaio, nomeadamente, para a poesia, o da Cidade de Lisboa, em 1988, e o prémio Eça de Queirós, em 1997; no domínio do ensaio o prémio Pen Club 1990 (ex-aequo) e o Grande Prémio de ensaio Unicer / Letras e Letras em 1989.




Agora Que Morreste






Agora que morreste Mãe

e só em mim te tenho

sou mais que o meu tamanho

porque sou tu também



Tuas mãos afagam minhas mãos

de quem são estes gestos esta pele?

Nunca me deste irmãos

só contigo reparto o meu farnel



de quotidianos fardos e alegrias

breves e desta brasa em chaga

que é tua ausência nos meus dias

órfãos mas sempre ao colo desta mágoa





de não te ter de te ter sido esquiva

de não te ter nunca aberto as portas

do meu ser de nunca te ter dado vivas

o que hoje já só são carícias mortas





Diário de Uma Ausência ( 27/03/1994)





(in Cicatriz, Editorial Presença, 1996)



34 comentários:

eremita disse...

tenho visto referências mas nunca aconteceu l~e-la, realmente.
Soube mnuito bem este excerto que nos deste. Estou de volta, meio manco da "patinha" superior direita - falta de hábito em trabalhos rurais, de um citadino.~
mas quase 100% recuperado.
E a minha amiga coimo vai. mais luminosa a alma do que há tempos?
O Gato Brasa está vic«vo, mas perdeu a energia selvagem. a infecção prostrou-o e agora vive na mornura da casa das varandas e principalmente do ninho.
Fraterno abraço.

Sophiamar disse...

Eremita, Querido Amigo!

A tua passagem por aqui é sempre bem vinda. Ares do Gerês, notícias do nosso Brasa e as tuas palavras sempre escritas com afecto. Espero que essa " patita" melhore e que possa afeiçoar esse chão que ainda é subsistência de algumas pessoas. A alma vai mais luminosa e tanto mais ficará quanto os amigos estiverem bem.
Mil beijinhosssss

Mocho-Real disse...

Bom, esta figura algarvia já conhecia, sim! Ainda por cima uma senhora com olhos tão bonitos!
Uma bela carreira ligada às Letras e mais uma das grandes estudiosas da obra pessoana.
Será que mantém, hoje, aos 70 anos, o mesmo brilho no olhar que se pode ver na 1ª foto? Até acredito que sim, que pouca vivacidade terá perdido com o passar dos anos.

Um abraço para ti.
Jorge G.

Graça Pires disse...

Não sabia que a Teresa Rita Lopes era Algarvia. Dela tenho o livro "A Fímbria da fala". E gosto.
Um beijo.

Sophiamar disse...

Mocho-Real

Jorge

Teresa Rita Lopes é uma ilustre farense, de olhos azuis marinhos,grande estudiosa da obra de Pessoa. Espero poder encontrá-la num almoço que irá realizar-se no fim do Verão, dos alunos do Liceu de Faro da década de cinquenta. Por essa altura, usávamos fraldas mas, como costumo dizer, eu sou de todos os tempos enquanto por cá for andando.

Beijinhosssss

Sophiamar disse...

Graça Pires

Teresa Rita Lopes é uma distinta figura das letras de que Faro muito se orgulha. Dela e de muitas outras e outros que te irei dando a conhecer.

Beijinhosssss

Vai passando.

T S disse...

Oi amiga
adorei seu blog
convido vc para Lusitana Ilusao
espero que goste
bjs inocentes
ts

anad disse...

Adoro este blogue e vou voltar.
Anad

gaivota disse...

olá sophiamar, deusa do mar!
esta grande senhora já conhecia, embora não tenha na da dela entre a minha biblioteca,
relaciono-a com f.pessso nem sabia que era algarvia...
ainda bem, volto a dizer, que nos vais apresentando tanta gente de bem...
(hoje o meu mar andou a passear-se pela marginal...lindo!!!)
beijinhosssssssssssssssssss

Meg disse...

Isabel,

De Teresa Rita Lopes já sabia que era uma mulher de letras, mas pouco mais dada a mimha relativa ignorância. Quem sou eu?

Por isso da Teresa Rita lopes vou ler tudo o que houver para ler, porque gosto, porque sim.

Um abraço

O Guardião disse...

Manifesto a minha ignorância, envergonhado é certo, mas é por isso mesmo que por aqui ando, a descobrir coisas que me passaram ao lado durante muito tempo.
Cumps

Sophiamar disse...

ts

Agradeço a tua visita. Passarei em breve pelo teu blog.

Beijinhosssss

Sophiamar disse...

Anad

Já lá fui ao teu canto. Um mundo de cor.
Vai passando.

Beijinhossss

Sophiamar disse...

Gaivota

Esta grande senhora, hoje com setenta anos, é algarvia de Faro. Uma das maiores estudiosas de Pessoa.

Vai passando, princesa do mar.

Beijinhosssss

Sophiamar disse...

Gaivota

Esta grande senhora, hoje com setenta anos é algarvia de Faro. Uma das maiores estudiosas de Pessoa.

Vai passando, princesa do mar.

Beijinhosssss

Agulheta disse...

Sophia.
Que bom dar a conhecer,os poetas e nomes deste país que muitos de nós desconheçemos,mas entrando neste espaço se fica mais rico,de saber... a senhora tem uns olhos! a que chamo de alma.
Beijinho doce amiga LISA

Sophiamar disse...

Meg

Por que razão falas da tua ignorância? Quem tem um blogue como o teu,quem comenta como tu não é ignorante. Não te menosprezes, Meg. Tenho uma ideia muito diferente de ti. Andas em busca constante do conhecimento.

Beijinhossssss

Força!

Sophiamar disse...

Guardião, Amigo!

Ignorante? Tu? Tenho aprendido tanto contigo.Não conheces estes algarvios de que aqui vou falando mas conheces outros portugueses tão ou mais importantes do que estes.

Vai passando, amigo.

Beijinhossssss mil

Sophiamar disse...

Agulheta, Lisa Amiga!

Esta senhora tem uns olhos lindíssimos. Da cor do mar algarvio que a viu nascer.

Vai passando, querida amiga.

Beijinhossss mil

Laura disse...

Olá sofia mar, vimd eixar um beijinho, encontrei a porta aberta e... saudades de ti e do teu mano...laura..

Sophiamar disse...

Laura

Sê bem vinda! Aqui há sempre lugar para as résteas de sol.

Beijinhossss

Vai passando.

jo ra tone disse...

Isabel
passo por aqui e leio por alto estas boas novas.

Falta de tempo, testes...
Tenho que dar ao chinelo.
Voltarei com mais calma

Beijinhos

Carminda Pinho disse...

Isabel,
de Teresa Rita Lopes, conheço alguns dos seus trabalhos e algumas das suas tomadas de posição na política actual. Foi a mandatária nacional para a candidatura de Manuel Alegre a Presidência da República. Foi uma das perseguidas pela ditadura de Salazar pelo que esteve em Paris cerca de 12 anos regressando em 1976. E muito mais se poderia dizer desta mulher solidária...
Se me permites deixo aqui mais um dos seus poemas...

"Dia
a
dia
noite
a
noite
pedra
a
pedra
palha
a
palha
tronco
a
tronco
cuspo
a
cuspo
gesto
a
gesto
passo
a
passo
flor
a
flor
se faz um ninho
um caminho
um amor

Teresa Rita Lopes
(in Cicatriz)

Beijinhos

LUIZ SANTILLI JR. disse...

Olá Sophia

Eu também adoro o mar!

Visite minha praia preferida!

GUARUJÁ

Abraço

Luiz

amigona avó e a neta princesa disse...

Isto está difícil para comentar!!! á e a 3ª vez que aqui venho!!! Este poema à mãe é tão bonito!!! Beijinhos, amiga...

mixtu disse...

voy mirar tu sugerencia...

abrazo serrano

teresa... mais uma para eu conhecer...

Meg disse...

Olha, Isabel, eu fui à procura e foi como tirar um cereja dum cesto. Ela vinha agarrada a outras e outros e eu ia atrás de todos, sou gulosa, tenho mais olhos que barriga, então socorro-me do bloco notas que nos favoritos já não cabe mais nada.
Mas trouxe um poeminha que conheces

Junto a um muro velho
A uma casa ruída
A velha amendoeira diz que não
À morte
E fica
De repente
Menina e noiva
Ao mesmo tempo.
O vento ri-se dela
Arranca-lhe as pétalas
- Mas são tantas que não se nota -
Escarnece-a:
- "És uma velha louca de véu e grinalda!"-
Para enxotar os insultos machistas do velho
Vento
Acudo-lhe com estes versos:
- "Não ligues! É inveja!
Estás tão linda assim de noiva, avozinha!"

Teresa Rita Lopes, Caminhos de Alcoutim

Gostaste?

Um abraço

Sophiamar disse...

Jo ra tone

Passa quando puderes. Já sabes que é com muito gosto que recebo a tua visita mas trabalho é trabalho.

Mil beijinhossssss

Sophiamar disse...

Carminda

Tenho uma grande admiração pela Teresa Rita, uma mulher bonita, democrata, culta de quem muito me orgulho por poder contar entre os amigos da família. Do mesmo tempo de Vieira Calado.

Beijinhosssss

Sophiamar disse...

Luiz Santilli Jr

Amigo, se gostas do mar só podes ser meu amigo. Sou uma apaixonada por essa imensidão de azul.

Beijinhosssss

Sophiamar disse...

Amigona
Este poema é lindíssimo. Adequado para o dia da mãe.
Fui roubar-te uma fotografia. Desculpa. Lê o artigo que refiro no post acima.

Beijinhossssss

Sophiamar disse...

Mixtu

Teresa é uma estudiosa de Pessoa. Talvez a maior em Portugal. Os olhos mais bonitos da Faculdade.

Beijinhossss

Sophiamar disse...

Meg

Teresa Rita Lopes é um mundo no que à poesia diz respeito e ao conhecimento de Pessoa. Uma mulher admirável com quem nos deliciamos à conversa. E não é que com ela os temas surgem como as cerejas?

Beijinhosssss

Aspásia disse...

EU IGNORAVA QUE ESTA PESSOANA FOSSE NATURAL DE FARO. CONFESSO QUE POOUCO OU NADA DELA LI, EMBORA A TENHA OUVIDO EM ENTREVISTAS NA ANTENA2. GOSTEI DE CONHECER ASSIM O SEU PERCURSO, GRAÇAS A TI, AMIGUINHA!


BEIJOS DESTE ALGUÉM DE LISBOA...