segunda-feira, 5 de maio de 2008

Desfolhada Portuguesa


Corpo de linho, lábios de mosto
Meu corpo lindo, meu fogo posto
Eira de milho, luar de Agosto
Quem faz um filho fá-lo por gosto.
É milho-rei, milho vermelho
Cravo de carne, bago de amor
Filho de um rei que sendo velho
Volta a nascer quando há calor.



Minha palavra dita à luz do sol nascente
Meu madrigal de madrugada
Amor, amor, amor, amor, amor presente
Em cada espiga desfolhada.
Minha raiz de pinho verde
Meu céu azul tocando a serra
Ó, minha mágoa e minha sede
Ao mar, ao sul da minha terra.
É trigo loiro, é além Tejo
O meu país neste momento
O sol, o queima, o vento, o beija
Seara louca em movimento.



Minha palavra dita à luz do sol nascente
Meu madrigal de madrugada
Amor, amor, amor, amor, amor presente
Em cada espiga desfolhada.
Olhos de amêndoa, cisterna escura
Onde se alpendra a desventura
Moira escondida, moira encantada
Lenda perdida, lenda encontrada.
Ó, minha terra, minha aventura
Casca de noz desamparada
Ó, minha terra, minha lonjura
Por mim perdida, por mim achada

Ary dos Santos



Meus Queridos Amigos, por falta de tempo, ainda não respondi aos desafios/ prémios que me propuseram/ ofereceram.
Pouco a pouco irei respondendo. João, desculpa, sei que estou em falta contigo mas irei responder-te. Renda, Filoxera, Silêncio Culpado, Amigona, Cvalente, Francisco do Essências ( premiaste o Mar à Vista mas vou responder-te neste blogue) desculpem-me. Não estão esquecidos. Jamais esquecerei a vossa amizade, a vossa dedicação, as palavras bonitas que me têm deixado. Blue Velvet, deste-me um presentinho mas não consigo copiá-lo. Explica-me , por favor, como o posso fazer.

O poema que hoje vos deixo, vem na sequência do dia que ontem comemorámos apesar de eu saber que Dias da Mãe, do Pai, de Natal, são todos os dias da nossa vida.

Que Maio seja também um mês que permaneça no nosso pensamento. Mês das flores , da Liberdade, da Generosidade, da Solidariedade...

32 comentários:

Maria Clarinda disse...

Lindo...tinha que ser , não é?
Um Jinhos muito, muito grande!

Fernando Santos (Chana) disse...

Cara amiga, belo poema de Ary dos Santos ! Que em Maio também permaneça no nosso pensamento a nossa edentidade...
Beijos

Papoila disse...

Boa maneira de saudar Maio!
Belo este poema de Ary!
Beijos

elvira carvalho disse...

Muito bonito o poema, como tudo o que o Ary escreveu. Não sei se sabe, mas eu adoro a poesia daquele homem.
Vejo que está mais animada, embora continue aterefada. Normal, o temp+o escolar caminha para o fim. E a saúde? Recuperada? Espero que sim. Faz falta a sua garra.
Boa semana
Um abraço amigo

anamarta disse...

De Ary dos Santos, só podia ser Lindo! Parabéns pela escolha!
beijinhos e boa semana

rendadebilros disse...

São sempre felizes os poemas de Ary dos Santos, mas este com a voz da Simone a mexer as cabeças/mentalidades da época tem sabor a desfolhada , a mosto, a amor por gosto!
Beijos.
Sem pressão o desafio...

rendadebilros disse...

São sempre lindas as nossas Mães não são, mesmo velhinhas?

Ludo Rex disse...

Bela escolha Amiga. Ó, minha terra, minha lonjura... Por mim perdida, por mim achada...
Façamos deste Maio uma jornada de luta e de esperança!
Kiss e Boa Semana

Filoxera disse...

Amiga: não tens que pedir desculpa; aliás, se não tiveres oportunidade de dar seguimento, nem te preocupes.
Também não consigo copiar a imagem da Blue.
Beijinhos.

Espaço do João disse...

Querida amiga.
Por mim respondo, nada tens a pedir desculpa. Quantas vezes as mães não teem tempo nem para si próprias? Basta que nos respondas com os teus belos poemas do Ary dos Santos para estares completamente desculpada. Recebe um beijo amigo do João

gaivota disse...

recordar este lindo poema de ary é sempre bom e nestes dias lindos com cheiro a campo de primavera rejuvesnecida...
está lindo tudo isto por aqui!
beijinhosssssssssssssssssss

Agulheta disse...

Lindo...Carlos Ary,um belo poema que nos passa na memória,grandes lutas.
Beijinho Lisa

elvira carvalho disse...

Passei por aqui.
Deixo-lhe um abraço

amigona avó e a neta princesa disse...

Minha querida respondes quando assim o entenderes...ao ler o poema do Ary lembrei-me logo de um tal senhor que ofendeu a sua memória (e a de outros!)...quando me visitares percebes...para ti um dia lindo...com muita, muita AMIZADE...

Odysseus disse...

Bonito poema! Grande Ary, é sempre bom reler os seus escritos.

jitos

avelaneiraflorida disse...

Querida Sophiamar,

Uma recordação EXCELENTE!!!!
Lembro-me da garra de Simone de Oliveira a interpretar esta canção!!!
Brigados por esta partilha!!!

BJKAS!!!

Victor disse...

Querida Sophiamar
É sempre maravilhoso recordar estes temas que tando nos dizem. Obrigado pelas tuas partilhas.
Um beijinho.

Bloga Comigo disse...

"Quem faz um filho fá-lo por gosto."

Nem sempre assim é mas o poema continua intenso.Ary é intemporal.

Bjo

rendadebilros disse...

Entre fichas de avaliação , reuniões pré-Provas de Aferição e outrasniões e tal... não te admires que ande com a cabeça no ar...
Beijos...

herético disse...

beijos...

Jorge P.G disse...

Casamento muito engraçado do impressionismo de Claude Monet, com a sua Femme à l'ombrelle e o lirismo bucólico e realista do nosso saudoso Ary.
Em ambos, um canto ao campo e à mulher.

Um abraço para ti.
Jorge P.G.

Daniel Aladiah disse...

Adoro Ary dos Santos.
Um beijo
Daniel

Espaço do João disse...

Querida Sofia.
Sempre ouvi dizer que não há bem que sempre dure , nem mal que não se ature.
Estou como nunca... Quanto às bejecas , não te preocupes porque a minha parte não cedo aos outros. Penso que nunca fui exagerado e, assim continuarei a proceder. Fiquei sensibilizado com a tua preocupação mas o ontem já passou. Já passei por vários dissabores e , consegui passar sempre por cima. Recebe um abraço forte do João.

Carminda Pinho disse...

Isabel,
esta desfolhada é eterna e, intemporal.

Beijos

Aspásia disse...

O TEMPO NÃO DÁ PARA TUDO O QUE QUEREMOS...

DESEJO QUE ESTEJAS RECUPERADA DA GRIPE!

BEIJINHO CURATIVO !

João Videira Santos disse...

Recordar Ary dos Santos num dos seus mais emblemáticos poemas é mais do que justo. É bom encontrar quem "dá" vida ao poeta editando os seus escritos. Um abraço

elvira carvalho disse...

Passei por aqui. Na falta de novidades, deixo-lhe um abraço

Luis Eme disse...

Maio é sempre Maio...

abraço Sophiamar

Graça Pires disse...

É sempre bom lembrar Ary.
Um beijo.

Maria Laura disse...

Um belo poema, uma canção emblemática e inesquecível. Tudo de acordo com este mês de Maio.

Aspásia disse...

FOI UMA CANÇÃO INESQUECÍVEL!

E A SIMONE CONTINUA UMA GRANDE SENHORA!

QUE TODAS AS MÃES (E PAIS) FIZESSEM OS FILHOS COM GOSTO, ERA MUITO BOM!

ESPERO QUE TENHAS TIDO BOM DIA DA MAMÃ... E DA VOVÓ!...

BEIJO GRANDE, ISABELITA!

Huckleberry Friend disse...

Grande Ary dos Santos... cavalo à solta e nunca poeta castrado! Que bom ouvi-lo na voz de Simone, de Carlos do Carmo e de outros que souberam pegar nas belas palavras que deixou. Beijos, Sophiamar!