quinta-feira, 13 de novembro de 2008

Obrigada, Elvira! Bem-hajas, Amiga!


Lua Adversa


"Tenho fases, como a lua
Fases de andar escondida,
fases de vir para a rua...
Perdição da minha vida!
Perdição da vida minha!
Tenho fases de ser tua,
tenho outras de ser sozinha.

Fases que vão e que vêm,
no secreto calendário
que um astrólogo arbitrário
inventou para meu uso.

E roda a melancolia
seu interminável fuso!
Não me encontro com ninguém
(tenho fases, como a lua...)
No dia de alguém ser meu
não é dia de eu ser sua...
E, quando chega esse dia,
o outro desapareceu..."


Cecília Meirelles



A minha amiga Elvira Carvalho, do blog Sexta-Feira, deu-me a conhecer este poema de Cecília Meirelles, deixando-o no blog Alfazema. Porque ela sabe que eu gosto de poesia, a Elvira é uma presença quase diária na minha vida, e tem prazer em fazer felizes aqueles que com ela convivem é um privilégio ser sua amiga e é com muito gosto que aqui o publico.Gostei muito de o ter lido.

Bem-hajas, Elvira.


20 comentários:

gaivota disse...

quando a Amizade é rainha no coração de gente boa, acontecem estas coisas...
a elvira é uma querida e sabe que tu mereces estes miminhos...
é suma linda, isabel!
beijinhos

Teresa Durães disse...

um poema a recordar

J. Stocker disse...

Uma forma bonita de receber e retribuir a "AMIZADE" que anda tão escondida.
Bem hajam aqueles que dela não se esquecem e a usam frequentemente no dia a dia.

Um abraço

Graça Pires disse...

Também gosto muito da Cecília Meireles. É bom ter amigas que nos oferecem poemas...
Um beijo.

elvira carvalho disse...

Amiga, zangava-me consigo, mas depois o elevador desce, então é melhor não.
A Elvira, não é nenhuma pessoa especial. E nem merece esses encómios todos. Gostou? Pronto, esse era o objectivo e eu fico feliz por isso. É só.
Um abraço

aflores disse...

Hoje é dia de Lua Cheia! Portanto, pensamento positivo e que estejas sempre rodeada de gente amiga, feliz e sorridente.
Grande abraço;)

SILÊNCIO CULPADO disse...

Sophiamar
É sem dúvida um lindo poema este de Cecília Meireles. Os poemas de Cecília Meireles têm esse sentimento infindo que fica mesmo quando termina.
Simpática e terna a nossa Elvira. Como sempre.

Beijos

Tiago R Cardoso disse...

boa escolha, sim senhor.

Agulheta disse...

Sou uma apaixonada por Cecília e sua obra,a comparo muito a nossa Sophia.Beijinho e bfs

Filoxera disse...

Foi bonito o gesto da Elvira, que também vejo como uma amiga atenciosa. E foi bonito tu lembrares-te de o colocar aqui.
Beijos.

o escriba disse...

Isabel

Querida Amiga, lindo poema este da Cecília Meireles. Oferta de Amizade, partilha de Amizade!

bjinhos
Esperança

lagartinha disse...

Ai que bem que me fez esta leitura...
Estava com a neura, mas passou-me!
Bjs e bom fim de semana

Jorge P.G disse...

Muito bonito este poema!

Um abraço para ti e outro para a Birinha.

jo ra tone disse...

Ah já posso comentar num intervalo.
Com os miúdos em casa, a net é só para eles.
Poisbem, tens aqui uma bela oferta, um poema que não conhecia, que nos dá a conhecer algumas fases que existem em qualquer pessoa num determinado espaço de tempo
Beijinhos
Quero "ver" sempre essa cara sorridente
OK?

Círculo Literário disse...

Belas postagens colocaste aqui!!Parabéns!!!
Visite nosso cantinho também.. temos uma visita ilustre por lá!!
Abraço!!

António Inglês disse...

Vale a pena ter amigos assim!
Um bom fim de semana
Abraço
António

De Amor e de Terra disse...

Minha querida Isabel, bom dia!
Como gostei de ver aqui este Poema da Cecília Meireles!!!
Também eu, tal como ela, como tu e como muitas (se não todas) de nós, temos dessas fases; vejo que estás a atravessar uma borrasca, que o teu mar anda encapelado, por isso, desejo-te belos dias de sol e ondas mansas.
Beijos e abraços de muita Amizade.
Maria Mamede

MPS disse...

Um abraço, Isabel!

lena disse...

um poema bem escolhido de Cecília Meirelles, poeta que também admiro e gosto de ler.

venho com o sol e o mar para encantarem o teu dias, ou todos teus dias e lê este poema de Cecília, não sei se o conheces, mas eu adoro-o:

A Bailarina


Esta menina
tão pequenina
quer ser bailarina

Não conhece nem dó nem ré
mas sabe ficar na ponta do pé

Não conhece nem mi nem fá
mas inclina o corpo para cá e para lá

Não conhece nem lá nem si
mas fecha os olhos e sorri

Roda, roda, roda com os bracinhos no ar
e não fica tonta nem sai do lugar.

Põe no cabelo uma estrela e um véu
e diz que caiu do céu.

Esta menina
tão pequenina
quer ser bailarina

Mas depois esquece todas as danças,
e também quer dormir como as outras crianças.

Cecília Meireles

tinha escolhido outro Poema de Cecília para te deixar, mas adoro o encanto deste que me deixa a pensar...



das tuas janelas consegues ver o mar que te abraça, ele é também um jardim, o nosso jardim, que aprendemos a olhar e a amar

sabes que não sou ausência, "tenho fases, como a lua" mas estou e sou presença!

abraço-te muito, beijinhos doces e a minha ternura, envolvida na amizade e no carinho que tenho por ti

lena

Liar disse...

É um dos poemas que mais gosto!

Obrigada por te ler!

Parabéns pelo Blog.
Bjinho

Céci