sexta-feira, 29 de abril de 2011

Porque será...

Foto de cata-vento ( Algar Seco - Carvoeiro- Algarve)




Porque será que meus olhos tanto necessitam

de ver mar ao longe?

Ou pelo menos a água

de um rio

para aí cheirar a sua raiz


Se calhar foi por tanto apetecer o azul

da água ao longe

que meus olhos são claros

que meus desgostos

se tornaram destemidos e salgados

e têm

o voo a pique das gaivotas

e o grito ácido

dos pássaros marinhos




Teresa Rita Lopes

( Faro 1937)

Afectos

Lisboa, Presença, 2000

8 comentários:

Graça Pires disse...

Gostei muito deste poema da Teresa Rita Lopes, com um imaginário ligado ao mar que eu também amo. Obrigada.
Um beijo.

Zé Povinho disse...

Bonito poema sobre o mar que sempre foi um calmante para mim.
Abraço do Zé

pinguim disse...

Ora aqui está uma poetiza que eu desconhecia...
Lindo!

Luis Eme disse...

bonito poema desta poetisa do sul.

beijinho Isamar

Luma Rosa disse...

O mar, gosto muito! Mesmo não tendo estes reflexos no olhar!! Beijus,

Parapeito disse...

e o céu azul tambem lá está :)
Gostei do poema da Teresa Rita Lopes.
Brisas doces ****

o escriba disse...

Lindo poema!

bjs
Esperança

Fragmentos Culturais disse...

Lindo o poema de Teresa Rita Lopes!

São mesmo 'afectos' porque a leio muito mais como crítica literária... aliás de inegável qualidade!Foi a pioneira em relação aos escritos de Pessoa!

Faço votos que a tua época de Páscoa tenha sido doce, também!

Linda semana!
(Foi bom ir até ao campo, respirar os aromas da terra)