domingo, 26 de outubro de 2008

Diospiros


Não gosto de diospiros, ou melhor, não gostava. Até ontem! Há poucos anos, talvez uns três ou quatro, tentei comer um diospiro, pela vigésima ou trigésima vez. Até vomitei o dito depois de ter insistido em comê-lo inteirinho. Nunca gostei da sua textura, demasiado mole, nem do seu sabor , quanto a mim, enjoativo. Até ontem!
A meio da tarde, a campainha soou. Eu estava nesta mesma sala, no mesmo canto onde agora vos escrevo. Levantei-me e fui ao portão. A uns trinta metros de distância. Uma vizinha, que teima em preservar , e bem, os costumes das gentes antigas vinha com um balaio cheiinho deles. De diospiros. Diferentes daqueles que costumo ver nos mercados. Mais maneirinhos mas nem por isso menos vermelhinhos. Agradeci-lhe com um sorriso largo, uns beijinhos, estive um pouco à conversa, ali mesmo ao portão. Não podia entrar, que tinha pressa, que tinha o carro mal estacionado. E assim partiu acrescentando: " No próximo fim -de-semana, trago uma tigela de marmelada. Acabadinha de fazer". É uma doce amiga! Lembra-se de mim ainda antes de eu ter nascido. Já cá há poucas!
Do portão até à porta da cozinha, que havia deixado entreaberta, encontrei os cães que nunca me deixam e dei-lhes um do frutos, partido em dois ainda que não equitativamente. E mais uma vez tentei saborear o dito , antevendo já um resultado pouco agradável. Mas, desta vez, pasmei. A experiência estava a ser diferente. A textura era a mesma, o sabor , esse, menos adocicado e não me deixou uma sensação estranha na boca, um arrepio, uma vontade de o rejeitar.
Hoje, ao pequeno-almoço, além do iogurte, dos cereais, da fatia de melão, e mesmo antes do café, já foram dois diospiros.
E que temos nós a ver com isso, dirão os que me lêem. Tendes razão mas apeteceu-me partilhar isto convosco. Desculpem a trivialidade.

30 comentários:

Brancamar disse...

E fizeste muito bem em partilhar. Gostei de conhecer esse teu lado mais caseiro, saber dos teus cães, conhecer-te um pouquinho mais na intimidade. E que bom ficares a gostar de diospiros, dizem que fazem muito bem.
Tem um bom Domingo.
Deixo-te beijinhos e outros tantos para a Maria.
Branca

jo ra tone disse...

Minha cara amiga Isabel,
Como se trata de diospiros, vim logo a correr.
Sabes que também comecei a gostar de diospiros há relatvamente poucos anos.
E porquê?
Porque em criança, quando me deram um pela primeira vez, tive azar. Deram-me um ainda não maduro, o que me fez a boca demasiado áspera.
Hoje,e nesta época, estou a consumir dois ou três por dia, oferecidos também por uma amiga vizinha, que não os tem em abundância.
Digo-te que é um fruto muito bom, e que tudo o que Deus fez e faz, é bem feito. O diospiro para mim, é como uma multi-vitamina necessária ao organismo, principalmente no Outono."Porque um homem não é de ferro".Fazes bem em consumi-los e verás o seu efeito maravilhoso.
É tão bom, que até os bichinhos gostam.
Ah, digo-te que consumidos à beira mar, eles têm um sabor diferente
;)
Beijinhos daqui
Um bom domingo

amigona avó e a neta princesa disse...

Como gostaria de estar contigo saboreando os diospiros!!! Quase senti o seu sabor na minha boca! Ao contrário de ti, amiga, eu adoro diospiros!!!Um bom domingo para ti minha querida...tenho muitas saudades tuas...

Tiago R Cardoso disse...

fizestes bem, também não gostava quando era miúdo e agora até marcham...

o escriba disse...

Isabel

Querida amiga, gostei deste teu texto intimista que abriu um bocadinho a porta sobre a pessoa que és.
Tens mais sorte do que eu porque nunca gostei de diospiros e continuo a não gostar. Compro-os quase todas as semanas mas são para a minha sogra velhinha que os adora!

bjinhos grandes
Esperança

Eduardo Aleixo disse...

Pois é das coisas que mais gosto: diospiros.
Também gosto dessa prática de as pessoas do campo nos darem coisas. A mim também me acontece as pessoas tocarem a campainha e nos oferecerem os produtos da terra. Como a família é pequena costumo dizer que não é preciso tanto, mas já verifiquei que isso pode ser visto como uma ofensa.
Mas voltando aos diospiros, adoro.
E a tua estória é bonita, porque é sincera, verdadeira e singela.
Beijos.
EA

Parapeito disse...

:))...Eu tambem até hoje continuo a não gostar de diospiros...nao gosto do sabor nem do cheiro...gosto unicamente da arvore....que tem umas folhas bem bonitas :)a minha tia agradece a minha falta de bom gosto...pois assim sobram mais :)diz ela em tom safado...não gostes não...que engordam :)

Gostei da partilha destas trivialidades*****

gaivota disse...

querida isabel, fico preocupada...
há razão para tal? ou não quererás dizer nada...
andei anos sem comer diospiros, achava também que não gostava, há 7 ou 8 anos a minha filhota esteve num centro onde tudo o que fosse oferecido para comer era dinheiro em casa... foi no outono, havia muitos diospiros e maçãs, acredita
que até nas sopas punham maçãs aos quadradinho, ou meias luas... os diospiros era o melhor petisco que podia haver...
como partilhei tudo o que seria diferente e positivo para aminha filha, comecei a comer diospiros...
hoje compro-os só para mim!
também marmelada "home made, by myself" tás longe, mas posso fazer-te chegar uma tijela... e doce de maçã reineta, de royal gala, de pera rocha, de tomate, de abóbora...
vou largando ao pouco as restantes arrumações e faço doces outonais para um bom queijo e bom vinho!
alarguei-me...
beijinhos muitos saudades de te sentir mais "perto"

Graça Pires disse...

Que boa vizinhança... Os diospiros são uma fruta bonita e gostosa. Experimenta pôr um pouquino de canela. É delicioso. Um beijo.

Teresa Durães disse...

de diospiros não gosto mas adoro marmelada!

Ana disse...

Não é uma trivialidade. Os diospiros são como outras coisas da vida... podemos aprender a gostar deles.
Talvez o carinho de terem sido assim oferecidos, te tivesse feito mudar de opinião.
Um beijinho, Isabel.

SILÊNCIO CULPADO disse...

Sophiamar
O sabor das coisas não está apenas no paladar. Está no sabor que vem com o momento e a afeição.
Num quadro como o que descreves, quem não apreciaria os diospiros?
E os diospiros são lindos como todos os frutos e não há frutos que não sejam agradáveis.
São a nossa ligação à terra que floresce e se entrega. São a nossa necessidade de estarmos vivos.

Beijos

Espaço do João disse...

Querida amiga.
Sempre gostei de diospiros e, talvez não saibas as variadas espécies que existem. Estive no Brasil e, deparei-me com uma imensidade dos mesmos. Há os de roer, os chocolate, os coroas reais,os que aguentam o tempo que quizermos, enfim uma panóplia deles. O que leva muitas pessoas a não gostarem deles é pelo simples facto de quando os comem não estão bem maduros. Deixam uma espécie de serradura na boca e, seu sabor não é nada agradável.Sou um curioso por natureza e, por onde tenho andado sempre que vejo uma pessoa comer um fruto que nunca vi, também tenho que experimentar.Em África por ex. comi alguns frutos sem ver outras pessoas comerem, mas como vi os macacos comerem, também experimentei e, não morri. A minha Nina ( cadela ) quando vê um no chão papa-o. Beijinhos e agradecido pela partilha de gostos.

J. Stocker disse...

Cara Isabel

Detesto esses frutos, eles e peixe cozido e as Merujes, não entram na minha boca. Pior que isso só os caracois, aos quais nuca tomei o sabor, nem uma vez que num grupo de amigos, um endinheirado me ofereceu uns contos de reis para os experimentar e que eu recusei, e garanto-lhe minha amiga que por astas "goelas" já passou muito alimento que faria virar as tripas a muita gente, umas vezes sabendo o que estava a comer outras não.
Que bom costume esse dos vizinhos, o que eu gosto de estar na aldeia, todas as vizinhas deixarem produtos da Horta, mesmo não estando nós em casa ou entram e deixam em cima da mesa da cozinha ou na escaleira.
Sinto na sua escrita um novo vigor, foi dos frutos ou do fim de semana? Aiinda bem seja do que for.
Gostei que mostrasse a pontinha da envolvente!

Um grande abraço

gaivota disse...

isabel, marinhaaaaaaaaa
vês tão lindoooooooooooooo
venho só deixar um beijão grandeeeeeeeeee
e desejar que tudo esteja a correr de acordo com a tua vontade!
és uma linda e querida amiga
beijinhossssssssssss millllllllll

Clarinda Galante disse...

Uau...e, que lindos esles estão, eu ao contrário de ti sempre adorei, e, adoro diospiros!!!!Malandra não me queres mandar um????
Jinhos mil

aflores disse...

Cá em casa todo o mundo gosta de diospiros...menos eu :(
É verdade.
A filha diz maravilhas, o filho insiste em convencer aqui "Kota" que é fantásico e que faz bem aos ossos :) e a mulher lá vai fazendo "olhinhos" sempre que leva a colher à boca e diz:"Devias experimentar, não sabes o que perdes".

Não me convencem...prefiro os meus flocos e já agora uma maça, uma fatia de melão, qualquer fruta...menos diospiros :):)


Xi coração

Zé Povinho disse...

A vida é feita de muitas trivialidades, e quase tudo o que fazemos se insere nesta classificação, até os diospiros ou a marmelada. Por acaso não gosto dos primeiros, mas em contrapartida adoro marmelada.
Abraço do Zé

heretico disse...

não há como experimentar. e persistir. com prazer de saborear...

beijos

Mariazita disse...

Olá, Isabel
A ideia que tenho é que o diospiro é uma fruta da qual, quando se gosta, gosta-se muito, ou não se gosta e ponto final!
Pessoalmente não consigo comer, apesar de ter feito várias tentativas...
É pena, pois tem muito potássio, o que é bom para a saúde.
Por outro lado tem muitos hidratos de carbono, na forma de açúcares, pelo que...cuidado, além de fazer engordar, não é aconselhável para diabéticos.
Sei isto porque tenho uma irmã diabética que, por azar dela, adora diospiros...
Gostei da tua "conversa".
Uma noite boa.
Beijinhos
Mariazita

Agulheta disse...

Isabel. Fiquei com água na boca,pelos diospiros e pelas palavras,os primeiro adoro à uns que se cortam a faca,mas penso serem espanhois! mas os nossos tem outro sabor... portugal,fazem muito bem dizem.
Beijinho

margusta disse...

Adoro diospiros!!!
Um beijinho meu Isabel.

Ludo Rex disse...

E partilhaste bem... Mas sabes eu não gosto de dióspiros, ou se calhar gosto e não sei...
Kiss

MPS disse...

Cara Sophiamar

Dar conta de tais gestos nunca foi trivialidade.

Um abraço

Ana Patudos disse...

Que engraçao, também se passou o mesmo comigo. Ofereceram-me uns que deixavam o gosto tão àspero na boca que era imposssivel comer.
Agora o meu pai plantou um diospireiro na sua horta e já deu frutos este ano, que realmente são uma delicia.
bjos
Ana Paula

De Amor e de Terra disse...

Minha querida Isabel, de trivialidades é feita a vida!!!
As coisas:-sensações, escritos, sentires, têm todas a mesma importância na vida da gente e de quem nos ama, sejam elas de "grande sabedoria" ou comezinhas...somos feitas(os) de tudo e tudo nos é pertença e direito... e francamente se nos amam, amam o todo, assim também, com a circunstância das coisas simples, como gostar ou não de diospiros.
Um alguidar de beijos minha querida Amiga e bom fim de semana.

Maria Mamede

Jorge P.G disse...

QUAL TRIVIALIDADE!
É a falar de coisas assim simples das nossas vidas que se estabelece a melhor comunicação tantas vezes.
Olha, eu tinha um avô que tinha um dente.
À época, a família possuía uma quinta ali para o douro, eado lde fruta.
Quando era a vez dos diospiros, o solitário sobrevivente da dentadura do avô Braga não sentia a falta dos companheiros. Ferrava-se no alaranjadinho do fruto e era só sorver o néctar!

Eu, nunca gostei de fruta muito doce e perfumada e prefiro os frutos silvestres e o maracujá. Além dos citrinos, que adoro!

Agora gostas? Diz-se que de 7 em 7 anos os gostos mudam. Já me tem acontecido gostar de coisas que não podia nem cheirar em miúdo. Olha, o queijo da Serra, por exemplo!

UM ABRAÇO. Gostei muito da escrita.

Alexandre disse...

Hehheeh, o diospiro é o meu fruto preferido, e no princípio do meu blog eu era o diospiro... só dei a cara quando me começaram a confundir com um tomate, hehehe, ignorantes!!!

Adoro diospiros!!! Como uma série deles seguidos, mas daqueles macios, dos de roer não gosto!!!

zef disse...

Boa partilha, a do diospiro e esta de nos contar!
Um abraço

Vieira Calado disse...

Olá, amiga!
Os dióspiros devem estar bem maduros e é preciso ter cuidado com o interior da pele que é muito
desagradável.
Já que falaste em melão, e a propósito de pessoas que levam a vida a dizer que não gostam disto ou daquilo, um avô meu (homem do campo), levou 70 anos a dizer que não gostava de melão!
Até que... um belo dia... provou... não como nem porquê... e passou a ser grande consumidor!

Uma grande beijoca.