sábado, 4 de outubro de 2008

O teu presente para a Maria!


Se o dia me vai cansando
e me retira a bonança
eu renovo-me escutando
o riso de uma criança:
é melodia afastando
as nuvens da tempestade.
E um novo sol vai brilhando
num céu de felicidade!


Fernando Peixoto












Fernando Peixoto deixou-nos ontem. A Cultura Portuguesa ficou mais


pobre.



Obrigada, amigo! Até breve!

11 comentários:

Brancamar disse...

Com lágrimas leio esta tua homenagem, deixei também uma no meu sítio. Se não te importas copia o comentário que deixaste no meu post anterior para o do Fernando. Obrigada.
Com carinho.
Branca

Brancamar disse...

Isabel,

Acabei de te ler de novo no meu espaço quando estava a dar mais um toque na homenagem ao Fernando Peixoto.
Nem imaginas como estou pesarosa de não ter estado no último adeus aqui a mei hora de casa. Estava a sair com a minha filha para uma Endoscopia que ela tinha marcada para as 9h30m quando ligou o telemóvel e viu que tinha mensagens dos colegas que pelas 23-24h de ontem lhe tinham comunicado que o professor tinha falecido e que o funeral era para 15m depois da hora do exame dela. Tinha-se deitado mais cedo por ter que realizar esse procedimento com o seu Gastrenterologista. Quando abriu o computador encontrou outras mensagens que já tinham chegado ontem ao princípio da tarde e que não tinha ainda lido. Imagina a nossa triste surpresa. A minha filha era aluna do Fernando Peixoto e a ligação com aquele professor era muito forte. Foi a propósito dela que me tinha enviado um e-mail já no princípio das férias escolares e que me disse que voltaria a falar, estava muito apreensivo com a sua saúde, esperava um diagnóstico e já esperava o pior. Trocamos alguns e-mails entretanto, discretos, evitava falar-lhe na doença, nem sequer perguntei se o diagnóstico se confirmou, ele deixou-o subentender, sempre com uma grande dignidade, procurei discretamente transmitir-lhe força. Recordo que me disse uma vez que havia de vencer esta batalha, como já tinha vencido muitas na vida.
Para grande tristeza de todos nós não a conseguiu vencer.
Estou contigo nesta dor, porque também me tinha tornado sua amiga, tenho na minha cabeceira o seu livro "Linguagem do Silêncio" que estava esgotado, mas que teve a gentileza de me oferecer um exemplar dos seus, neste último ano, a propósito de uma pergunta que deixei no blog Eco de Silêncio, onde aparecia um poema desse livro.
Através de tudo o que a minha filha me transmitia das suas aulas de História do Teatro desde o primeiro ano e já vai para o último, fiquei a conhecer o homem extremamente humano, de uma grande simplicidade e sentido de cidadania.
Falava por vezes que estava ansioso por terminar a sua tese de doutoramento para ter mais tempo para nós, para os seus amigos, terminou-a, mas não lhe foi permitido aproveitar como queria o seu tempo, lamentávelmente. Era um homem de um saber extraordinário, de uma cultura ímpar mas gostava dos sítios e das pessoas simples, gostava da vida na sua expressão mais profunda.
Deixo este desabafo.
Voltarei quando estiver mais restabelecida.
Beijinhos para ti.
Um grande para a Maria, que o Fernando tão bem soube homenagear nestes versos, tão doces como ele.
Branca

elvira carvalho disse...

Amiga percebo a sua dor, mas até breve?...
Lembre-se que de onde se encontra o seu amigo não vai gostar de vê-la assim.
Deixo um abraço de solidariedade.

Peter Pan disse...

Deliciosa Amiga de Sonho:
Bela homenagem. Fantástica e adorável.
Vale ouro puro.
"...Se o dia me vai cansando
e me retira a bonança
eu renovo-me escutando
o riso de uma criança:
é melodia afastando
as nuvens da tempestade.
E um novo sol vai brilhando
num céu de felicidade!
Fernando Peixoto
Fernando Peixoto deixou-nos ontem. A Cultura Portuguesa ficou mais
pobre..."

Excelente e lindo, terna e doce amiga.
Possui uma atenção e uma memória brilhantes e sensíveis.
Que sabem o que fazem com encanto, ternura e beleza.
Ele agradecer-lhe-á, linda e extraordinária amiga.
Gostei muito.
Beijinhos amigos de fascínio pela sua imensa significaçao de incrível beleza e genialidade apura e justa em tudo o que faz e faz maravilhosamente

p.pan

o escriba disse...

Isabel

Querida Amiga, o teu amigo cultivava as palavras e a vida de uma maneira muito elevada. Partiu mas não desapareceu: ficou no teu coração e na lembrança das coisas boas. Olhar em frente é a melhor homenagem que lhe podes fazer e que ele acolherá com um sorriso de eterna amizade.

bjinhos
Esperança

António Inglês disse...

É difícil estar só, com tanta gente
Que ao nosso lado aumenta a solidão!
Saber que estar só é ser diferente,
É ser apenas um na multidão!

É difícil sentir que, de repente,
Somos menos que um átomo: um neutrão,
Um fogacho de luz, um comburente
Do cosmos gigantesco em combustão.

Difícil é saber qual o papel
Que vamos na Vida interpretar
Na plateia que iremos enfrentar.

Buscamos no outro a sua pele,
Assumimos de um outro a dimensão
Pra ser o que não somos: Ilusão!


Não tive a honra nem o prazer de conhecer Fernando Peixoto, mas acho que esteja ele onde estiver saberá que os amigos que teve continuam a dedicar-lhe a sua atenção, a sua amizade e honrando a sua memória.

As fases da minha vida dão nisto. Tudo acontece na mesma altura e parece que esta não teria sido a melhor para te vir dizer : Olá!

Imagino como te sentes amiga mas não te esqueças que tiveste o privilégio que muitos não tiveram.
É assim a vida.

Estive um pouco a deleitar o olhar por muitos poemas que F Peixoto escreveu. Honestamente não conhecia a obra mas este poema chamou-me a atenção.

Os amigos nunca partem, ausentam-se apenas mas deixam-nos a sua marca.

Um grande abraço de muitas saudades!
António

Maria disse...

Empobreceu a poesia, empobrecemos todos nós mais um bocadinho...

Um abraço

elvira carvalho disse...

Passei para lhe deixar um abraço e desejar um bom Domingo.

José Gomes disse...

Desta vez o acontecimento tirou-me as palavras. Na altura própria não consegui escrever nada ao e sobre o Peixoto. A perda de um amigo é dolorosa demais.
Quero agradecer a ti e a todos que escreveram sobre o Fernando nos blogse nos comentários, Faºço vossas as minhas palavras e daqui para a eternidade onde está o Fernando Peixoto vai aquele abraço muito especial.
José Gomes

gaivota disse...

uma prenda linda que ficará eterna
como ficará igualmente a recordação do homem, do amigo, do poeta
bem hajas, isabel
beijinho grande

Espaço do João disse...

Querida amiga.
Cheguei a trocar alguns e-mails com o professor Fernando Peixoto.Aconteceu que o seu nome veio parar ao meu caderno não sei como e, um dia o Prof. perguntou-me como tinha encontrado seu endereço. Respondi-lhe que também não sabia e que ia retirá-lo do meu caderno. Recebi como resposta que nem me atrevesse a tal pois teria sempre gosto em receber os Mails. Fiquei também a saber por ele que tinha sido através do blog A Ver o Mar. Longe de mim saber que estava doente mas, mesmo assim respondia de vês em quando com uma mensagem. Fiquei pesaroso e envio à família os meus pêsamos através do teu espaço. Paz á sua alma.