quarta-feira, 4 de junho de 2008

Fazes-me Falta!






Há dezasseis meses que partiste. A saudade continua a minar-me e este nó que sinto no peito teima em ficar. As recordações gratas, inesquecíveis, que nos deixaste, são tantas que não consigo perceber por que não te preocupaste mais com a tua saúde.O médico disse-te tantas vezes que tinhas de deixar o tabaco e não acreditaste que o fim estivesse tão próximo. Foi tudo tão rápido! Aquele sábado amanhecera bonito, fazia um sol radioso e passaste a manhã nas compras. Encontrei-te no café, feliz, entre as onze e o meio-dia, e, juntas, estivemos um bocadinho à conversa. As primeiras rugas estavam a preocupar-te e falavas em fazer um" lifting", uma lipoaspiração, porque o estômago estava um bocadinho saliente, acabaras de encomendar um novo creme para te dar luminosidade ao rosto e nem uma referência fizeste ao consumo de tabaco. Estavas a enganar-te! O cigarro na mão, a conversa fluía, os olhos brilhavam, o teu sorriso rasgado contagiava tudo e todos. Falámos dos teus anos, poucos dias depois, querias comprar umas botas castanhas, altas, porque o Paulo era muito alto e querias diminuir a distância que vos separava. Irias ao Porto, no fim de semana, e o teu objectivo era deixá-lo ainda mais apaixonado. Deixei-te pouco depois do meio-dia. Ia almoçar com uns amigos lá para os lados de Albufeira, tomaria café no Almansor, no Carvoeiro, sobre o mar e encontrar-nos-íamos ao fim da tarde. Também foste almoçar com um amigo e, depois, segundo me contaram, registaste o euromilhões. Uma réstea de esperança de que um dia acabarias rica, farias uma viagem à volta do mundo, passarias uma temporada no tal spa de luxo para eliminar celulites persistentes, gorduras localizadas, resistentes, alguma flacidez que começava a surpreender-te aqui e acolá. Transportavas um baú de sonhos que tu própria destruíste .Voltei a encontrar-te por volta das dezassete e trinta. Parecias estar a dormir no sofá do escritório e não reagias ao meu apelo. Alarmada, agarrei-te, sacudi-te, chamei por ti várias vezes mas não respondeste uma única palavra. Já cá não estavas! Tantos sonhos, tanta vontade de viver e tanta dificuldade em acabar com o vício que traiçoeiramente te levou. O coração parou para sempre.Choro-te! Chorar-te-ei eternamente! Numa família grande, perder um familiar é uma tragédia irreparável mas numa família pequena, como a nossa, é uma hecatombe. A quem me agarro agora, Paula? Com quem desabafo? E tinhas tudo para ser feliz! Nunca acreditaste que a tua vida estava por um fio. E afinal esse fio, entre a vida e a morte, é tão ténue! Eu daria tanto para que regressasses ao nosso convívio, ao nosso lar. Tudo ficou desmoronado e nada mais foi igual!

60 comentários:

Espaço do João disse...

As teias que a vida tece.Quantas vezez ficamos surpreendidos com estes desaires? Lamento profundamente mas, já nada poderemos fazer. Demos todos as mãos para que o vício não seja superior a nós próprios. Infelizmente muitos de nós deixamo-nos arrastar e, pensamos que só acontece aos outros.
Ponhamos os olhos na Paula e não nos deixemos vencer pelos vícios mesmo por aqueles a que dizem não fazer mal a ninguém. Vícios são vícios e, por muito inocentes que pareçam, são sempre vícios.

Maria disse...

A vida é uma linha muito ténue, que parte em qualquer momento, Isabel.
Nunca sabemos quando. É nossa obrigação aproveitar a vida e vivê-la enquanto podemos...

Deixo-te um abraço apertado, e beijinhos

Agulheta disse...

Sophia. Nestas letras estão a dor e a falta de alguém! mas a vida é uma teia,se calhar por lidar de perto com tanta desgraça? entendo certas coisas de outra forma,mas muitas vezes a dor fica bem no fundo,não choramos mas o coração dói muito.
Beijinho fica bem Lisa

o escriba disse...

Isabel

Sem palavras para te consolar da tua perda, deixo-te um abraço apertado.


bjs
Esperança

amigona avó e a neta princesa disse...

Ontem não passei por aqui mas hoje deixo um beijo solidário...usei esta mesma imagem quando em Dezembro passado vivi uma situação muito difícil, lembras-te? Estou contigo amiga...beijos...

gaivota disse...

isabel, sabes que este tema é muito doloroso para "abeirar",
partilho as tuas palavras e sentimentos
e não é preciso o tabaco...
ela bate à porta, ou nem isso!
entra "descaradamente" e leva alguém, por vezes nem doente está!
fico por aqui, minha amiga
um beijinho muito grande

Jorge P.G disse...

Choro contigo a sua partida, Isabel.

Um abraço envolto no desejo de algum conforto para a tua dor.
Jorge P.G.

Zé Povinho disse...

A partida de alguém que nos é próximo deixa sempre um vazio nas nossas vidas, porque nunca estamos preparados para tal. Com o avançar dos anos aumentam estas partidas, é inevitável, e com isso são pedaços de nós que também partem, restando apenas as memórias.
A nossa passagem por cá é efémera.
Abraço do Zé

elvira carvalho disse...

HÁ situações que palavra alguma pode confortar. Fico por aqui abraçando-a em silêncio.

jo ra tone disse...

É sempre difícil ver alguém partir.
Por vezes podemos fazer algo para que isso não aconteça.
É bom viver, e se possível,evemos afastar-nos de tudo o que nos possa causar danos
Digo que deixei de fumar após o nascimento do primeiro filhote.
E apenas um maço dava para 3 ,4 dias .
Também é preciso uma grande força de vontade.
Desculpa a ausência
o 7 é o culpado

Beijinhos


Gostei dos textos
Beijinhos

Torquato da Luz disse...

Um texto forte e vivo, muito bem escrito, como é costume.
Emocionei-me a lê-lo. Há situações cuja descrição nos traz outras à lembrança.
Um bj.

astrid disse...

Beijinho.

Perdas, tantas perdas que vamos sofrendo...

Penso em ti

Sophiamar disse...

João, Amigo:

O homem é um animal de hábitos e alguns viciantes. É o caso do tabaco, do álcool, do café... uns resistem-lhes melhor, outros, pior. A Paula ficou cativa deste. Até à morte. E faz-me falta. 43 anos!

Beijinhos

Obrigada!

Sophiamar disse...

Maria

A linha da vida é tão frágil e tão periclitante. Aproveitemo-la ao minuto.

Beijinhos

Sophiamar disse...

Agulheta

Estas linhas foram escritas quando, passados quatro meses da sua partida, não suportava o nó que me minava e senti que era chegado o momento do desabafo. Hoje, repetiu-se.

Beijinhos

Obrigada!

Sophiamar disse...

Escriba

E eu recebo esse abraço apertado com muito gosto. Obrigada, colega, pela solidariedade manifestada.

Beijinhos

Sophiamar disse...

Amigona:

Se lembro! E doeu-nos tanto! A todos! Obrigada pelas palavras.

A dor permanece mas os amigos atenuam-na.

Bem hajas!

Beijinhossss

Sophiamar disse...

Gaivota, Minha amiga!

Infelizmente, ela não escolhe idades, nem dias. Chega, arrebata e deixa-nos inconsoláveis.

Beijinhos grandessss, querida amiga.

Bem hajas!

Sophiamar disse...

Jorge

Obrigada, querido amigo. As lágrimas rolaram, qual torrente, e ainda hoje acontece com alguma frequência.

Bem hajas!

Retribuo-te um abraço fraterno.

Sophiamar disse...

Zé Povinho

Em cada partida, parte um pedaço de nós e vamos fragilizando cada vez mais. Por fim, partimos. Tudo tão passageiro!

Beijinhos

Bem hajas!

Sophiamar disse...

Elvira

Obrigada, amiga! As tuas palavras, que sinto tão verdadeiras, tão sensatas, enchem-me. Gosto muito de ti.

Obrigada! Fico-te muito grata por tudo.

Beijinhos

Sophiamar disse...

Jo Ra Tone
Estás desculpado.Sei que tens muito trabalho e a família que te é tão querida. Às vezes não é fácil tomar essas decisões.

Obrigada pelas palavras.

Beijinhosssss

Sophiamar disse...

Torquato da Luz

A tua passagem por aqui é bem vinda. Obrigada pelas palavras solidárias.
A vida é tão fugaz!

Um bj

Sophiamar disse...

Astrid

Obrigada pelas palavras. Gostei de te reencontrar.

Beijinhos

anamarta disse...

Querida Sophia
Lamento sinceramente o mau momento que estás a viver! Perder um Ser que nos é querido é sempre muito difícil, é uma dor enorme com a qual temos que aprender a viver, embora nos custe imenso!
Um Beijinho muito grande para ti.

Ana disse...

Perder um familiar é sempre uma tragédia.
Da forma como o disseste, desprende-se uma saudade e uma dor imensas.
Deixo-te um abraço com muita amizade.

Um Momento disse...

Não consigo comentar...

Abraço-te forte e com muito carinho...

(*)

Graça Pires disse...

A perda de alguém que amamos é tão irremedável, que não há palavras...
Um beijo.

Filoxera disse...

Amiga:
Não sei quem era a Paula, mas sei o que dói a perda. A primeira que me marcou foi, aos sete anos, a dum amigo muito querido, filho dos meus padrinhos.
Estou sem ânimo para palavras, mas abraço-te.

Sophiamar disse...

anamarta

Foi há dezasseis meses!Inacreditável mas aconteceu.É assim a vida.

Beijinhos

Bem hajas!

Sophiamar disse...

Ana, amiga da encosta:

Uma dor que o tempo atenuará mas que permanecerá como uma saudade imensa. Agora, ainda é ferida a latejar.

Beijinhos

Bem hajas!

Sophiamar disse...

Um momento:

Obrigada, amiga.Momentos menos dolorosos virão. Assim o espero.

Beijinhosss

Sophiamar disse...

Graça Pires

É a finitude da vida humana. Sabemo-la mas nunca estamos preparados para a receber.
Quando é como esta, rasgam-se-nos as entranhas.

Beijinhos

Obrigada

Sophiamar disse...

Filoxera

Era uma prima como irmã.Tinha menos dez anos mas nas nossas idades estas diferenças esbatem-se.

Beijinhos amiga!

Bem hajas!

Papoila disse...

Querida Amiga:
Um texto belíssimo de saudade desse vazio que nunca se preenche.
Um abraço!
Beijo

lagartinha disse...

Sophiamar

Linda homenagem.
Um grande beijo

herético disse...

um abraço. comovido. por ti. e pela tua dor.

São disse...

Tens pelo menos a consolação de não ter sofrido demais, caríssima!
Sereno fim de semana.

O Guardião disse...

Ficamos sempre mais pobres e mais sós, quando alguém de quem gostamos parte. A vida não pára, nós é que um dia paramos aqui, e partimos.
Bfds com Sol
Cumps

Vb disse...

Olá Isabel.

Gostei de reler o teu texto. Está tudo lá. A mensagem, o conselho, a serenidade, a amizade. Está lá tudo a transbordar de emoção.

Está tudo a correr como previsto. Aproxima-se....Estou começando a ficar arrepiado.

Um grande beijo para ti e um óptimo fim de semana.

Vitor

elvira carvalho disse...

Passei por aqui antes de dormir, par deixar um último abraço, de muita amizade.

anamarta disse...

Passei por aqui para te deixar um forte abraço de carinho e Amizade

António Inglês disse...

Isabel querida mana amiga.

Venho aqui deixar-te o meu abraço muito apertado de muita amizade.
Sabes que o facto de não andar ultimamente em visitas nem responder aos comentários que me são feitos não significa nada na nossa amizade.
Tenho de tirar ilações de algumas coisas que se passam e nada mais.
Na nossa amizade nada interferirá seguramente, venha raios e coriscos que não a conseguirão estragar.
Espero que nestes últimos 15 dia mais coisa menos coisa, não tenhas recebido mensagem nenhuma minha, pois se isso aconteceu, não fui eu.
Estou e estarei por aqui sempre que precisares, mesmo que não deixe vestígios.
Sabes onde me encontrar e espero noticias tuas.
Um abraço e milhões de beijinhos
António

ASPÁSIA disse...

AMIGA

FIQUEI COMOVIDA E IMPRESSIONADA COM A EMOÇÃO E TRISTEZA COM QUE DESCREVES A PARTIDA DA TUA QUERIDA PRIMA PAULA, E TÃO JOVEM AINDA.

DEIXO UM ABRAÇO FORTE DE CARINHO E AMIZADE.

ESPERO QUE A POUCO E POUCO ESSA FERIDA VÁ CICATRIZANDO, DEPOIS DO LUTO VIRÁ ALGUMA SERENIDADE, SENÃO OS QUE FICAM NÃO SOBREVIVERIAM AOS QUE PARTEM.

EM TEMPOS ESCREVI SOBRE MINHA IRMÃ DE FORMA SEMELHANTE, EMBORA A SUA PARTIDA PRECOCE SE DEVESSE A UM ACIDENTE E NÃO A DOENÇA.

MIL BEIJINHOS, MINHA QUERIDA!

Sophiamar disse...

Papoila

Um vazio que perdura, perdura, perdura...nada o colmata.

Obrigada!

Beijinhos

Sophiamar disse...

Lagartinha

Obrigada.As tuas palavras são bem vindas.

Um grande beijo

Sophiamar disse...

Herético

Obrigada! A minha dor, um dia, passará. E virá a saudade.

Beijinhos

Sophiamar disse...

São

Essa é a "consolação" onde, desvalida, procuro algum amparo.

Beijinhos

Sophiamar disse...

Guardião

Ficamos mais sós, mais pobres, mais incompletos até que um dia também partimos.

Beijinhos

Bem hajas

Sophiamar disse...

Vítor

Fi-lo quando passaram quatro meses. A dor rasgava-me o peito, a vida tinha dado uma volta inesperada. Agora com as férias a aproximar-se relembro-a com dor, revolta, incompreensão...

Tão cedo deixou a vida!

Força, amigo. Conta comigo e com os muitos amigos que tens.

Beijinhossss

Sophiamar disse...

Elvira

És uma amiga a sério. Obrigada por tudo. E foi tanto!

Mil beijinhos

Bem hajas!

Sophiamar disse...

anamarta

Obrigada, amiga.
Bem hajas! Senti a tua solidariedade, a tua sinceridade, a tua amizade.

Beijinhossss

Sophiamar disse...

António, Querido Amigo!

As tuas palavras consolam-me, trazem-me o apoio que necessito, são bem vindas. Sempre! Sinto que estás pronto a ajudar-me, a percorrer montes e vales, a lutar contra ventos e marés. A amizade contigo não é palavra vã. Obrigada!

Não recebi mensagem nenhuma em teu nome e, se isso acontecer, saberei distinguir o verdadeiro António.

Milhões de beijinhos

Bem hajas!

Sophiamar disse...

Aspásia, Amiga!

As tuas palavras perpassadas de amizade,compreensão, bondade são essenciais neste blogue.
Já te disse quanto gosto de ti mas a cada dia que passa ainda mais consolada fico quando te leio.

Imperdível amiga,obrigada por tudo.

Bem hajas!

Mil beijocas.

A paginadora disse...

Isabel
Passei por aqui para deixar um abraço bem apertado de solidariedade e que Deus te ajude a superar todos os momentos dolorosos. Coragem!
Mil beijinhos

Sophiamar disse...

Paginadora

Agradeço as tuas palavras. Há muito tempo que aqui não te encontrava e espero que tudo esteja bem contigo.

Serás bem vinda.

Beijinhos

Boa semana!

com senso disse...

Só hoje vi este post.
Fiquei preso ao que lia, no final confesso que tive que fazer uma pausa... Faltavam-me palavras, mas senti que lágrimas queriam aparecer.
Compreendo bem demais a dor que sente...

BlueVelvet disse...

Querida Isabel,
não tenho andado por aqui, portanto não sabia.
Lamento muito a tua perda.
Nada pior que perder alguém de quem se gosta.
Deixo-te um beijinho

Sophiamar disse...

Com senso

Obrigada, amigo, pelo conforto. Chegou cá através das palavras perpassadas de solidariedade.

Beijinhos

Sophiamar disse...

Bluevelvet

Obrigada pelas palavras. Nestes momentos dolorosos uma palavra é , muitas vezes, o amparo que precisamos.

Beijinhos

Bem hajas!