segunda-feira, 1 de dezembro de 2008

1 de Dezembro de 1640- A Restauração da Independência


Na manhã do dia 1º de Dezembro de 1640, viam-se no Terreiro do Paço (Lisboa), numerosas carruagens de cortinas corridas. Ao soarem as nove badaladas nos sinos da torre da igreja, abrem-se, de repente, as portas das carruagens, saindo delas muitos soldados armados. Caminham em direcção ao Paço habitado pela Duquesa de Mântua que governava Portugal em nome do rei de Espanha. Desarmam os guardas e entram no palácio. Procuram Miguel de Vasconcelos, Secretário de Estado, que se escondera dentro de um armário, tiram-lhe a vida e lançam à praça o corpo de traidor português, símbolo odiado do domínio estrangeiro. Na praça, o povo que já corria em magote, apoderou-se do traidor, Miguel de Vasconcelos, mutilando-o furiosamente. Por essa altura, já o Duque de Bragança era aclamado por todos como João IV, rei de Portugal. Os conspiradores tiveram alguma dificuldade em convencer a regente do reino, a Duquesa de Mântua, a retirar-se, pois ela tentava ainda dissuadir o povo, falando-lhes de uma janela. Foi então que João Pinto Ribeiro e seus pares, tiveram uma atitude firme perante a Duquesa de Mântua, ao perguntar-lhe: "Vossa Excelência deseja sair por aquela porta, ou por essa janela ?". A Duquesa, vendo então a gravidade da situação, resolveu ceder, enquanto cá fora o povo gritava sem parar: Viva Portugal !!!O velho D. Miguel de Almeida assoma a uma das varandas do paço. As lágrimas correm-lhe pelas barbas brancas. Levanta a espada nua e grita, trémulo de emoção:“Liberdade ! Liberdade ! Viva El-Rei D. João IV! O oitavo Duque de Bragança é o nosso legítimo rei. O céu restituiu-lhe a coroa, para que o Reino de Portugal ressuscite. A promessa de Cristo a D. Afonso Henriques, nosso primeiro rei, será cumprida !”.O Duque de Bragança, futuro D. João lV, ouvia missa, no Paço Ducal de Vila Viçosa, quando lhe deram a notícia de que fora proclamado rei de Portugal. E foi assim que quarenta valorosos guerreiros nos deram livre a Nação ! Há 368 anos!

10 comentários:

pinguim disse...

Tenho muito respeito por se comemorar neste dia a luta contra a Sida, mal maior que dilacera o nosso planeta, em termos de saúde e estou sempre solidário.
Mas é bom não esquecer a nossa História e o enorme significado desta data: o dia da Restaração!
Afinal é feriado nacional hoje, em portugal, porquê? Muita gente esqueceu e outra, decerto nem sabe; é muito bom lembrar...
Beijinho.

Isa disse...

Bom dia,Amiga.Madrugaste...
Sei k te levantas cedinho.Hoje fizeste mto bem.Lembraste uma data importante da nossa riquíssima História.Bom feriado.
Beijo.
isa.

MPS disse...

A nossa nobreza demorou 60 anos a perceber que se tinha vendido por nada: vice-reis espanhóis aqui e nas colónias; o Brasil torpemente deixado sem defesa caíra nas mãos dos holandeses; a Índia e África constantemente atacadas por holandeses e franceses...

Verdade, verdadinha, o terreno da revolta fora sabiamante preparado. Os monges de Alcobaça desencantaram o milagre de Ourique dando foros de desígnio celeste à fundação da nação portuguesa; os jesuítas de Évora aproveitaram o "Manuelinho" doido para assinarem panfletos incendiários contra os filipes e promoverem as inúmeras revoltas populares que assolaram todo o país.

A nobreza só teve que seguir no encalço dos desejos da nação. Mas fizeram-no e estou-lhes grata por isso.
Recuperámos a Pátria. É dia de hossanas!

Um abraço

Pico minha ilha disse...

Uma data que sempre devemos lembrar.Um bom feriado.Abraço

elvira carvalho disse...

Duas postagens no mesmo dia? Amiga isso é que é.
Numa época em que anda para aí tanta gente a dizer que não se importava de ser espanhol é muito bom lembrar que não somos espanhóis, porque no passado houve gente com brio suficiente para arrancar a canga.
Um abraço.

Jorge P.G disse...

Bela acção, que agora parece estar a ser desperdiçada, com o país a vender-se em talhões.

Ó vila de Olhão
Da Restauração
Madrinha do povo
Madrasta é que não...


Ó meu Portugal
P'ra onde te afundam
Quem te quer tão mal?
Abutres que abundam...


UM GRANDE ABRAÇO.

gaivota disse...

só os filipes e nuestro hermanos é que não gostaram muito desta ideia do 1º de dezembro...
a independência de portugal tão festejada por tantos e... lamentada por outros........
viva portugal!
beijinhosssssssssssssssssssss

o escriba disse...

Isabel

Querida Amiga, grandes feitos do passado que devem ser lembrados.
Pena é alguns esquecerem muito depressa.

bjinhos
Esperança

Filoxera disse...

Tenho pena de lamentar a restauração da independência. Pena porque isso só significa que acho que Portugal está a anos-luz da Espanha...
Beijos.

jo ra tone disse...

Isabel,
Esses quarenta valorosos guerreiros foram os que a história me ensinou "os conjurados" certamente.
Gostei desta descrição mais em pormenor.
Beijinho